segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Igual a Jesus


"caminhar seguro na Tua luz, eu quero ser igual a Jesus...."
" Aquele que confia no Senhor, a misericórdia o Cerca"
Sl. 32.10

“Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias, e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprazíveis, e as que não são, para aniquilar as que São ”. Corintos 1. 27 e 28

Talvez você esteja se perguntando por que não usei o texto de Paulo mesmo que diz: "Sede meus imitadores como do Pai eu Sou", afinal estamos falando sobre sermos iguais a Deus. Mas por eu não me considerar um exemplo a ser seguido, prefiro deixar Paulo dizer tais Palavras (risos).

Pois bem querido. O real sentido de ter escolhido o texto acima, do próprio Paulo a igreja de Corintos, é que este texto me falou muito ao coração, pois ele reflete uma verdade cristã magnífica que deve ser entendida por nós, vivida e expressa a todos os filhos de Deus.

Criados por Deus pra sermos como Deus é

Existe um texto em Gênesis, na criação do mundo, que o Autor do capítulo diz: "assim criou Deus o homem a sua imagem e semelhança". Paremos um pouco e analisemos: Homens?, nós? Imagem, ou seja, representação do próprio Deus? E também semelhança, parecidos?. É, é isso mesmo. Essas definições não são apenas do Aurélio, mas também realidades do amor de Deus para com as nossas vidas.

No processo da criação, Deus olhou para o homem e se agradou, o admirou, o contemplou e expressou que tal ser era admirável aos seus olhos. Ele se orgulhou do que acabara de ter criado. Você já reparou em uma pessoa quando ela vence seus limites? Ela própria se admira. "Nossa, eu não sabia que era capaz de fazer isso?" Imagine agora Deus, Ele não tem limites, mas amou sua criação e se orgulhou por nós. Éramos sem pecados, me arrisco a dizer que éramos idênticos, não em tamanho e excelência de poder, mas nossas mentes, emoções, vidas, eram iguais a de Deus.

Em minha família somos quatro filhos, duas meninas, que já são lindas moças e dois rapazes, eu e meu irmão. Durante minha vida toda e acho que até o findar dela, fomos comparados um ao outro, eu e Marcus por mais que de placentas diferentes, tenho que convir, éramos, como ainda somos, bem idênticos. Mas as pessoas esqueciam que, embora a aparência fosse "cara de um focinho do outro", nossa mente e nossa maneira de agir era e ainda é diferente. Pessoas, Deus é super criativo, por mais que eu pareça meu irmão, somos muito diferentes. Assim também somos com Deus. Não aceito você dizer que Ele é sua alma gêmea, isso é uma expressão espírita que não cabe no meio do povo de Deus. Embora você não seja gêmeo de Deus, você ainda, embora tanto tempo batendo a cabeça em seus erros, ainda assim se parece com Ele e é hora de buscarmos ser ainda mais parecidos com o Senhor.

“Você é o Matheus ou o Marcus?”, ou, “Matheus e Marcus!”, ainda também o nome invertido, acabamos a nos acostumar com a idéia, pois sem solução, esta era nossa sina. Estou te contando isso, não por que sou fofoqueiro e gosto de cuidar da vida dos outros (risos), muito pelo contrário sei viver, e gosto de pessoas que sabem viver assim, como a bíblia nos orienta: "examine-se a si mesmo...", mas estou lhe contando essas coisas, porque a identidade do cristão deve se confundir. O seu semblante muda, os seus atos mudam, seu pensar muda, enfim, tudo muda! E você é confundido, ou melhor, achado e reconhecido como "um deles...", como um semelhante, amigo, conhecido, fiel seguidor de Jesus. CRISTÃO. Crente em Ação do evangelho. Aquele que vive os ensinamentos de Jesus.

Reconhecidos de Deus

"E por onde ele passava.." Essa frase, por mais que pouco, acredito que você já a ouviu. Em muitos relatos bíblicos, eles começam assim e no seu proceder conduziram a atos maravilhosos realizados por Jesus e seus seguidores. No caminhar do cristão também é necessário que nossos relatos sejam iguais ao do Pai, conduzindo a atos maravilhosos. Não estou lhe pedindo, querido, pra que sejas um robô seguidor de tarefas e deveres, mas um cristão, que não de um modo planejado, mas prazeroso, busca viver e reconhecer a plenitude de Cristo em seus dias. Se olharmos o novo testamento, veremos a diferença que cristo causou em seus seguidores. A bíblia diz que por onde Paulo ia passando, só pelo passar de sua sobra, ele expulsava a demônios. Por onde andassem os discípulos do Cristo, ali eles faziam à diferença e em seus modos no agir, faziam notório o viver por Jesus.

Há algum tempo atrás, melhor dizendo, há uns bons anos atrás, quando eu estava me preparando para o vestibular, em um curso preparatório, na volta pra casa eu me deparei com um homem, que me interrompeu gritando: "irmão, irmão, eis que vi um anjo do Senhor por detrás de você. Cristo é contigo. Você é cristão, não é?" eu o respondi todo empolgado, pois afinal haviam me reconhecido pelo meu andar com Cristo e todo feliz a ele eu disse: "Sim!! Eu sou!!" e ele me perguntava de qual igreja era e me dizia que Deus tinha grandes sonhos pra mim e no final da conversa me surpreendeu dizendo: "o irmão tem algum dinheirinho pra me doar?" Puxa, meu coração até murchou naquele instante, pois em meu bolso só havia um passe escolar (passagem para utilização de ônibus) e com uma cara de piedade, pois o queria ajudar, eu respondi: "infelizmente, não tenho." Olha meu amado, aquele querido irmão só faltou me bater. Ele fechou tanto a cara que acho que o anjo do qual ele disse de forma tão bonita já não estava mais ali. Com muita raiva aquele homem foi embora e eu disse a Deus: "ainda bem que você havia me dito que há profetas e profetas". Eu ri com Deus naquele momento.

"assim como sou sejais vós também..."

Sempre quando vou compor, busco estudar muito sobre o que componho e quando eu fui criar o musical infanto-juvenil que falava sobre a vida de Jó, comprei um livro de Charles R. Swindoll da série heróis da fé, cujo o título é: "Um homem de tolerância heróica". Ah, e como aquele livro me edificou. Swindoll diz: "Nós temos uma visão restrita do tempo. A visão de Deus, porém, é panorâmica. (...) Deus (...) não sente necessidade (nem tem obrigação) de explicá-lo a nós" explicar o porquê das coisas acontecerem conosco e Ele permitir que tais ocorram,” o Pai sabe o que é melhor para os seus filhos. Descanse nessa idéia. O bacana é que como saí edificado dessa experiência de ler esse livro. À semelhança de Jó, as coisas que Deus permite que aconteçam conosco é parte do nosso crescimento. Por mais que aos nossos olhos e em nossa mente estejam aquela bela frase de caminhão: "Não sou dono do mundo, mas sou filho do dono", então tenho o mundo como herança e ninguém quer o mal pra si, Deus permite sim que o mal nos aconteça, não só quando plantamos os nossos erros, mas também quando somos bons, pra que cresçamos a estatura de varões perfeitos. Swindoll tem uma visão muito bonita que diz que “as coisas são emprestadas por Deus a nós”, em seu livro ele também relata que quando viemos ao mundo não trazemos nada e quando sairmos dele também não levaremos nada, tudo o que Deus nos dá é por empréstimo, palavras tais que Paulo já havia dito à Timóteo em seu capítulo 6, versos 7 e 8.

Devemos ser iguais a Jesus também no pedir. Deus, em sua condição homem, expressa na pessoa Jesus, como filho e sabendo que tinha todo o poder sobre tudo e todos, mesmo assim ele não usou de desfrute pessoal. Não quis coisas que alimentasse o seu próprio conforto, a sua própria satisfação. Ele viveu como um homem e seu poder permanecia em suas mãos. Estudou como um homem e o entender habitava suas mãos. Ele, por satanás, foi tentado como um homem e o escape permaneceu, ainda que sem uso, em suas mãos. Teve medo como um homem e a segurança de todos os pelos quais ele morrera e dos quais com suas mãos o maltrataram, estava em suas mãos. Ele morreu e por momentos agonizantes passou na cruz e por todo o momento, até antes de sobre si tomar todo o julgo, Ele era a vida e a vida estava em suas mãos.


Daniel Godri, um grande palestrante, não crente, em uma de suas palestras sobre motivação, ele esclarece a todos de sua platéia: "O maior líder, o maior exemplo de inteligência e motivação à ser seguido é Jesus. Você pode até não acreditar nele, mas que Ele é o melhor exemplo a ser seguido, isso Ele o é." Percebe como as pessoas, mesmo que não entendem o plano de salvação constituído por Deus para as suas vidas, mesmo assim, de algum maneira mostram querer seguir a Jesus? Eu e você que já o conhecemos tão bem, devemos querer ser os primeiros a estabelecer essa conduta de acreditar e colocar Deus, Jesus como um espelho a refletir os atos DELE sobre nós.

Tenho uma expressão que diz: Quando eu me faço fraco, de Seus braços me vem à fortaleza que necessito, quando em mim se repousa o medo, o Seu nome é coragem e fé, quando me apavora a alma pelo dia de amanhã Ele me é a certeza de que será da melhor forma, quando já não vejo sentido, Ele é a vida, por que a vida nEle faz sentido.

Matheus Gerhard

Boa semana, amigos.


2 comentários:

Marcus Gerhard disse...

Caramba! estou sem fôlego!
Que massa Theus! isso é lindo demais!
Que comunhão, que beleza! Deus te abençoe meu irmão, cada vez mais.

Taiane disse...

Mais uma vez, muito legal ler teus textos!

Deus continue a te abençoar!

Beijo!